Vanessa & Douglas

SEJAM BEM-VINDOS AO NOSSO SITE
Vanessa & Douglas

Sobre os noivos

Como é bom recordar! Conheça os detalhes da nossa caminhada até esse grande sonho do nosso casamento.

Nossa história teve início no dia 10 de abril de 2009, em Porto Alegre e vamos contar como nos conhecemos, tentando apresentar a história narrada pelas duas partes. Para não nos perdermos na narrativa, Eu, Vanessa usarei a fonte em itálico, e eu, Douglas em negrito, ok? Então vamos lá!!! Era noite de Sexta-feira Santa e fui com uma amiga (a Ethiene) assistir ao show da banda Jorjão e a Pasta num bar chamado Dhomba, hoje atual Cuko, na Rua Gen. Lima e Silva, 1037. Quando chegamos ao bar encontramos dois amigos e como o show ainda não havia começado, nos dirigimos para a antessala, onde funcionava o restaurante. Conversas, música alta e eis que um rapaz da mesa ao lado me chama a atenção, no caso Eu...rsrs!! mas como ele estava rodeado de amigos, achei melhor não demonstrar nada, apenas lancei alguns olhares. Quando vi a chegada da Vanessa e da amiga com mais dois caras, pensei: são namorados. Imediatamente meu foco voltou para a mesa dos meus amigos. A espera para o início do show foi longa, mais de uma hora. Tempo suficiente para eu analisar todos os detalhes daquele alemão, que elegantemente tomava uma taça de vinho e comia um prato de massa...E eu nem aí pra ela. Afinal, quem em sã consciência diria que dois casais sentados juntos num bar não seriam namorados. Mas na aquela altura do campeonato já tinha achado estranho não ter rolado nenhum afeto entre eles, enfim... A banda avisa pelo microfone que o show vai começar e o pequeno público de 20 e poucas pessoas que estava aguardando se “bandeia” para a pista para curtir o show. Todos aproveitando a festa e eu seguindo com os meus olhares pro Douglas, sem saber o que fazer, mas algo muito forte me dizia "faz alguma coisa Vanessa"... não fiz...e nem eu, pois os quatro amigos seguiram juntos e eu firme na ideia de que eram namorados...(cué). O que me consola é que tudo nessa vida acontece da forma que tem que acontecer... seguimos na história. É chegada a hora da partida. Dirijo-me aos caixas com a minha amiga e quase tenho um “tréco” ao perceber que ele (Eu) está na minha frente aguardando para pagar a comanda. Minha maldita timidez me travou mais uma vez e eu nem sequer descobri o nome dele. Foi-se aquele alemão, lindo (Isso eu que escrevi...rsrs). Até hoje me pergunto o porquê da Vanessa não ter pego meu nome na comanda com a guria do caixa...teria sido tão mais fácil. Seguimos para a segunda parte da história. E entendamos o porquê desse meu comentário.

Chegando em casa, lá pelas 2hs da manhã, senti uma vontade (olha o absurdo...rsrs) de tentar procurar aquele rapaz que mexeu tanto comigo.

Fui para o computador e abri o Orkut (entregando a idade em 3, 2, 1...rsrs). Foram algumas horas de busca sem sucesso, três Orkuts, mais de três mil pessoas. Até hoje não acredito que ela fez isso. E depois dizem que um banho e um cabelo arrumado não fazem a diferença? Pra minha sorte fez...rsrs!! Fui dormir naquela noite com a sensação de que iria encontra-lo. No outro dia, a Sherlock acordou, tomou café da manhã e se jogou na frente do computador para seguir com as buscas. Tive a brilhante ideia de procurar na comunidade do bar, o Dhomba. Logo ao entrar na comunidade reconheci uma moça morena bonita, que parecia ser uma das amigas que estavam com que ele na noite anterior. Será que eu, sem saber absolutamente nada sobre esse alemão conseguiria encontrá-lo por uma rede social? Pois então meus amigos, ao entrar nas fotos da nossa amiga Lelê (a morena bonita), constatei que elas estavam com aquela proteção de privacidade para pessoas que não são amigas, só pra dificultar!!! PAUSA: lembram-se do meu comentário anterior, quando disse que teria sido muuuuito mais fácil a Vanessa ter pego meu nome na comanda com a guria do caixa do bar? Segue o baile... Minha última cartada foi tentar ver as fotos que estariam marcadas com a Lelê, na esperança de ter alguma ligação, alguma pista sobre o ele. Em bom e alto tom eu disse "ACHEI"!!! Lá havia uma foto da noite passada, com o grupo de amigos que estavam no Dhomba e dentre eles, euzinho aqui, o rapaz que a Vanessa não sabia o nome e que conseguiu encontrar no falecido Orkut. Realmente ainda não acredito que ela tenha feito isso, mas agradeço todos os dias por ela ter essa determinação. Determinação essa que fez nossas vidas mudarem para sempre.

Hoje estamos juntos aqui, contando essa história maluca a vocês. Uma história intensa e repleta de muito amor - exatamente como sempre fomos um com o outro, desde o primeiro dia que nos encontramos. A data? 18 de abril de 2009. Não podemos encerrar sem alguns agradecimentos muito especiais: Ethiene, Dhomba, Lelê e claro ao nosso querido, velho e falecido Orkut!!!

Nos vemos dia 14 de abril de 2018!!